Farta do mau cheiro, Paris quer acabar com «le pipi sauvage»

A capital francesa quer acabar com o hábito de se urinar nas paredes. As casas de banho públicas espalhadas pela cidade não chegam e por isso está em testes uma solução amiga do ambiente.

É tida como uma solução ecológica para o chichi em locais públicos.

A autarquia parisiense cansou-se de ser conhecida como a cidade das luzes, do amor e das poças de urina, é por isso que aposta na prevenção. Em Paris, o fenómeno é conhecido como «le pipi sauvage», ou seja, o chichi selvagem.
O jornalista Rui Tukayana foi cheirar os «uritrottoirs»

Farta da má educação e dos odores indesejados, Paris contratou uma equipa de designers para ajudar a combater o problema. A solução foi apresentada agora chama-se «Uri-Trottoir», em português, qualquer coisa como o «uri-passeio. Trata-se de uma caixa pintada de vermelho, com uma pequena abertura na área de recolha da urina, atrás disso está um grande reservatório e no topo, um arranjo com flores, mas também ervas aromáticas.

O design é moderno, mas não nada disto que torna o «Uri-Passeio» num equipamento amigo do ambiente, esse segredo está naquilo que se esconde no reservatório. O mini jardim esconde uma unidade de compostagem. No interior do reservatório está palha seca, serrim e pequenos pedaços de madeira. Depois, a passagem do tempo e da urina tratam de transformar esses materiais em composto que depois é usado para adubar as terras dos parques e dos jardins da cidade. Em paralelo, a tudo isto, como os materiais orgânicos utilizados são muito ricos em carvão, o mau cheiro é drasticamente reduzido.

Para já, e porque ainda estão em fase de testes, são apenas dois os «uri-trottoirs» em funcionamento. É à porta da Gare de Lyon que os equipamentos foram colocados, trata-se de um dos mais (mal) afamados locais de chichi «sauvage» em Paris e a SNCF, a empresa que gere os caminhos de ferro franceses diz que se a experiência correr bem vai apostar em instalar mais urinóis. «Ali e noutras estações da cidade».

Rui Tukayanav
/ TSF

Posted on 2 février 2017 in Portugal, Presse

Share the Story

Back to Top